10 de agosto de 2016 Artist Image

Bosco – 1989

  • Funk de Guerra

    Autores: João Bosco

    Meu Brasil brasileiro
    Quero ver quem pode
    Ser santo sincero
    Honesto sem ter
    Nenhum entrevero
    Com esse pagode
    Pra-Catá-Ouvirundum
    Quero algum que me acode!
    Quem será que tem
    Será que tem?
    Quem tem não...
    Não dá, dá?
    Quem tem não dá

  • Sinceridade (Sinceridad)

    Autores: João Bosco & G. Perez

    Quero viver uma vez mais
    Esse amor que as margens
    Lambe, invade e traz
    Castanhas gotas de cristais
    Teu rio à beira do meu cais
    O amor é cego quando vê
    Que é o coração quem sabe escolher
    Haja razão pra entender
    Esse simples querer
    Olha pra mim
    Um remanso por fim
    Espelho d´água a refletir
    Até que tudo resolva por si
    Novas canções vão surgir...
    Para viver uma vez mais
    Outro amor nascente dessas ancestrais
    Castanhas gotas de cristais
    Que não morrem jamais

  • Tenho Dito

    Autores: João Bosco

    É um caminhão de coisa boa
    Suba se quiser
    É um coração que bate à-toa, à-toa
    Fuja se puder
    É uma lambada na "Da Boa"
    Oh, Yeah!
    Uma garota baila nua, na rua
    Parando sobre a maravilha, a lua
    Ó Magia!
    E a noite tropical seguia...
    U vou boiar
    Desço pra afundar
    Subo com a maré
    Que a ralé me quer, quer
    Calma calma mister
    Calma mister, calma com a banana
    Vê se leva um abacaxi
    Já senti que a mão que afaga
    É a mesma que afana
    Quem falou, não tá mais aqui.

  • 04 Jade
    Lyrics
    Jade

    Autores: João Bosco

    Aqui meu irmão
    Ela é coisa rara de ver
    É jóia do Xá
    Retina de um mar
    De olhar verde já derramante
    - Abriu-se Sézamo em mim!
    Ah, meu irmão
    Áqualouca tara que tem imã
    Mergulha no ar
    Me arrasta, me atrai
    Pro fundo do oceano que dá
    Pra lá de Babá
    Pra cá de Ali...
    Pedra que lasca seu brilho
    E queima no lábio
    Um quilate de mel
    E que deixa na boca melante
    Um gosto de língua no céu
    Luz, talismã
    Misterioso Cubanacã
    Delicia sensual de Maça
    Saborosa Manhã...
    Vou te eleger
    Vou me despejar de prazer
    Essa noite o que mais quero é ser
    Mil e um pra você.

  • Vendendo Amendoim com El Manisero (El Manisero)

    Autores: João Bosco

    Mani
    Manisero se vá
    Mani
    Manisero tem amendoim pra dar
    Quem amor não retribui
    Amor não terá amendoim
    E o vento levou
    Gilda e Laura
    A Excalibur
    A escrava Isaura...
    Rochedo é um conjunto de rocha
    É meia-bomba mas não broxa
    O amor é amendoim

  • Varadero

    Autores: João Bosco

    Encouraçado pato quentim
    Sabe se vem do Pará
    Ave metálica ao tucupi
    Sabe se tem no angar
    Zen! Rango que tem cheiro de flor
    Bem jasmim... Louvado seja o tempero
    Panuelo só se for em varadero

  • Terra Dourada

    Autores: João Bosco

    Cenário de cor
    Beleza de luz
    De pedra, de sal
    Deitada no azul
    Nos Braços da cruz
    Te vejo infernal
    Na barra que nem
    Em Honolulu, Caxias, Xerém
    Verão de Babel
    No baixo da noite
    Eu cruzo meu bem
    Ô oba lá lá lá
    Difícil sacar
    Seu jogo de azar
    Mais fácil entender
    Alguém que só quer
    Sua boca angorá, amor
    Morena.

  • Sassaô

    Autores: João Bosco

    Na serra da barriga eu ouço a sabiá
    Me banho na bacia do Recôncavo
    Me dano porque corto a jaca na banda
    Me ganham com perfume Cataratas do Amor
    Menina eu já plantei
    Um pé de manacá
    Pra gente ir lá sarrar
    Sarrar e se abraçar
    Cada bacana tem sua levada
    Com a boca torta, o som
    A batucada assanhou...
    E a batucada vem-que-vem danada
    Força da raça, o povo, na alvorada cantou:
    É Rosicler clarão na noite fechada
    Bendito seja o pão e a graça que deus dá

  • Vila de Amor e Lobos

    Autores: João Bosco

    Na serra da barriga eu ouço a sabiá
    Me banho na bacia do Recôncavo
    Me dano porque corto a jaca na banda
    Me ganham com perfume Cataratas do Amor
    Menina eu já plantei
    Um pé de manacá
    Pra gente ir lá sarrar
    Sarrar e se abraçar
    Cada bacana tem sua levada
    Com a boca torta, o som
    A batucada assanhou...
    E a batucada vem-que-vem danada
    Força da raça, o povo, na alvorada cantou:
    É Rosicler clarão na noite fechada
    Bendito seja o pão e a graça que deus dá

  • O Mar Religioso Mar

    Autores: João Bosco

    Veja como é branca e linda
    Espumas de amor
    Movimento eterno
    Que agora em ti sou
    Netuno no céu oceânico
    Dominus no Mar Sacramento
    Dentro de você
    Navegando vou
    Nau invento!
    Tem curare
    Canto Volare
    Que o amor
    o amor
    o amor
    Ah, o amor é o mar, é!
    Morena gauguin
    Mulata do Di
    Com você eu só quero ir

  • Maiakovski - (E Então Que Quereis)

    Autores: João Bosco

    Fiz ranger as folhas de jornal
    Abrindo-lhes as pálpebras piscantes.
    E logo
    De cada fronteira distante
    Subiu um cheiro de pólvora
    Perseguindo-me até em casa.
    Nestes últimos vinte anos
    Nada de novo há
    No rugir das tempestades
    Não estamos alegres,
    É certo,
    Mas também por que razão
    Haveríamos de ficar tristes?
    O mar da história
    É agitado.
    As ameaças
    E as guerras
    Havemos de atravessá-las.
    Rompê-las ao meio,
    Cortando-as
    Como uma quilha corta
    As ondas.

  • Corsário

    Autores: João Bosco & Aldir Blanc

    Meu coração tropical
    está coberto de neve, mas,
    ferve em seu cofre gelado
    e a voz vibra e a mão escreve: mar.
    Bendita a lâmina grave
    que fere a parede e trás
    as febres loucas e breves
    que mancham o silêncio e o cais.

    Roseirais! Nova Granada de Espanha!
    Por você, eu, teu corsário preso
    vou partir a geleira azul da solidão
    e buscar a mão do mar,
    me arrastar até o mar,
    procurar o mar.

    Mesmo que eu mande em garrafas
    mensagens por todo o mar,
    meu coração tropical
    partirá esse gelo e irá
    com as garrafas de náufrago...
    e as rosas partindo o ar!
    Nova Granada de Espanha
    e as rosas partindo o ar!

Share on:
Trem Bala Agnus Sei Por Um Sorriso Dois pra lá Dois pra cá Incompatibilidade de Genios Genesis (Parto) Falso Brilhante Linha de Passe Tal mãe, Tal filha Angra Profissionalismo é isso ai Escadas da Penha Bate um Balaio ou Rockson do Pandeiro Cabaré Coisa Feita Malabaristas do Sinal Vermelho Siri Recheado e o Cacete Tristeza de uma embolada Amar, Amar Quilombo Si Si No No Ditodos O Mestre-sala dos Mares As Minas do Mar Granito Desnortes Holofotes Indeciso Coração Querido Diário Forró em Limoeiro Se Você Jurar Calango Rosa Papel Machê Pixinguinha 10x0 Beirando a Rumba Kid Cavaquinho Perversa Mama Palavra Cinema Cidade Incompatibilidade de Gênios Bala com Bala - Edu Lobo Pronto pra próxima