16 de setembro de 2017 Artist Image

Na onda que balança – 1994

  • Por Um Sorriso

    Autores: João Bosco & Abel Silva

    Hoje eu quero te ver sorrir
    Como quem
    Quem descobre, enfim, a alegria
    Olha o sol trazendo a manhã
    Luz e cor
    Pois é pra você que nasce o dia
    Todo amor é urgência e esperança
    E suspeita sempre da razão
    Desejar o sim ou mesmo ser o não
    Toma a minha mão
    Levanta o rosto e assim
    Eu sei, você vai ter
    Um sorriso pra mim
    Quando essa canção
    Chegar ao fim
    Brisa benfazeja
    Beija o meu amor
    Para sempre seja
    Claro onde ela for

  • 02 Dodo
    Lyrics
    Dodo

    Autores: João Bosco

    Boi, boi
    Boi da cara preta
    Pega esse menino
    Que não larga aqui de mim
    Dodô
    Quem quebrou
    O velho Big-Bem
    Do seu avô
    Arruma seus trem
    Arruma seus trem
    Arruma seus trem
    Que pintou delator
    Adoro esse menino
    Pai desse festim
    Adoro quando Nego Miles
    Baixa sobre mim
    Eu fico transeado
    Pássaro que-gira
    A gente quando fica possuído
    A gente canta assim

  • Água Mãe Água

    Autores: João Bosco

    Dou de chorar
    Chorar de rir
    Rir de fazer
    Água rolar
    Só por prazer
    Água musa da filosofia
    Toda gota principia
    Um sabor novo de sal
    Noite do iguana excita o rio
    Água unidade do cio
    Tudo é um água total
    Horizonte azul que a vista alcança
    Vou na onda que balança
    Nada é um nadar igual
    Mãe de Quelé
    Mãe de Pixinguinha
    Rum Rumpi Lê
    Dou uma palmadinha
    No bumb-bum é
    No bum-bum de uma
    Que abre, que abre o bué
    Mãe de uma menina
    Mãe de uma Nazaré
    Viva o movimento
    Mãe da maré
    Benza o sofrimento
    Fonte da sé
    Água na banheira
    Ajuda, ajuda-me até
    Traga-me um desejo novo
    E vê se me põe de pé!

  • Indeciso Coração

    Autores: João Bosco

    Solidão e liberdade
    Soledade uma paixão
    Que adio sine die
    Por ter não
    Essa tal razão
    Que vem com a idade
    Que vem com a felicidade
    Que vem de outra ilusão
    Doida vez por outra
    Mesmo doida
    Por não ter o que fazer
    Com esse indeciso coração
    Fico assim
    Sem saber
    Quem saber terá
    Pra me dizer
    Pois a vida diz
    Que não tem tempo
    Que o amor é coisa de momento
    É quando rola um turbilhão
    Todo coração tem movimento
    O que pra mim
    Já é uma intenção

  • Babalu de Dakar

    Autores: João Bosco

    Bagaço e mato
    Usei no barraco hum
    Na casamata de um sabiá
    Bagaço e mato
    Usei no barraco hum
    Sanhaço canta aqui
    É o babalu de Dakar

  • O Espírito do Prazer

    Autores: João Bosco

    Ora beata
    Ora pagã
    Hábito bata
    Salto escarpin
    Solta no ato
    É de manhã
    Doido me flagro
    Numa reza vã
    Língua de fogo
    Boca do inferno
    Meu lado quente
    Nesse hemisfério
    Solta no ato
    É de manhã
    Muito indecente
    Essa anfitriã
    Eu vou dar é uma
    Ou mais de três
    Parede acima
    Subir de vez
    Quem não gostou
    Do que me gusta
    Está no céu
    É o que me assusta
    Sou um pecador
    Num paraíso
    Perto da diva
    Perco o juízo
    Eu vou dar é uma
    Ou mais de três
    Depois de tudo
    Tudo outra vez

  • Liberdade

    Autores: João Bosco & Cacaso

    Eu todo sonho
    É sempre um céu azul
    Em todo sonho
    É sempre um mar sem fim
    Só mesmo um louco
    Pra sonhar assim
    Sonha viver
    Em liberdade
    Meu canto é livre
    E a paixão sem fim
    O meu lugar
    É não mudar daqui
    Sei que meu sonho
    Vai viver por mim
    Mesmo que tarde
    A liberdade
    Luz da Matriz
    Somp a tpcar
    Luz das Mercês
    Luz do Pilar
    Gente a passar
    Muitas cabeças
    Gente a passar
    Muitas cabeças

  • Momentos Roubados

    Autores: João Bosco & Belchior

    Ouço o som de uma sirene
    Num dueto antes do fim
    Parar um sax assim
    Entra sem pedir licença
    Deus é o último a notar
    Que música dançar
    O metrô que traz a sorte
    É sempre o próximo a chegar
    Baby, a vida é nada
    No azul dessa balada
    Minha deusa dê o tom
    Brinque com meu sexo a luz néon
    Droga e som rolam no ar
    Ter que ser sentimental não é legal
    No meu solo atual
    E não há maior jazz
    Que gastar todo o meu gás
    Com você baby

  • Flerte

    Autores: João Bosco

    Os olhos que anunciam
    O meu descobrimento
    Conquistam estrelas
    Bem no meu firmamento
    Na órbita de um flerte
    Perdidamente
    A trajetória é uma
    Atração permanente
    Não há como fugir
    Não dá pra ter sossego
    Por um instante
    Tudo é um segredo
    Olhar cruzando olhar
    E um querer ardente
    Lá dentro a disparar
    O coração da gente
    Negros olhos da noite
    Claros verdes da mata
    Castanhos de rio
    Cristalino céu
    E esse azul que arrebata

  • Rosamundo

    Autores: João Bosco

    No Urubuquaquá
    Onde é que fica isso
    Fica no Pinhém
    Manda o recado
    Toca o sino sacristão
    Quente quente
    Comendo um
    Quente quente
    Comendo um
    Quente quente
    Comendo um
    Quente quente
    Comendo um
    Um violão
    Um violão
    Na cantoria
    Quando a pinga tem razão
    Mente mente
    Quem ama um
    Mente mente
    Quem ama um
    Mente mente
    Quem ama um
    Mente mente
    Quem ama um
    Só coração
    Só coração
    Viver no oco
    De uma pedra
    No Vesúvio
    Quero estar em Cordiburgo
    Quando aquele trem passar
    Subindo acima
    Lá no céu que me ilumina
    Vou cortando com Machado
    Lenha ra rimar
    Ah! Ah! O verso quando alastra
    É música que o vento
    Zune no lugar
    Ah! Ah! O moço até disfarça
    Mas não perde a graça
    De Rosa no ar

  • Olhos Puxados

    Autores: João Bosco

    Ela não entende o meu riscado
    Acha meu xadrez meio estampado
    Pra balanço eu vou ficar fechado
    Pois não quero a minha grife nesse estado
    Subo de tamanco no tablado
    Tento não perder o rebolado
    Num bico de pena m nanquim
    Ela vê um oriental em mim
    Desenrolando as peças
    Medindo a lingerie
    Se for pra vida assim levar
    Ta bom pra mim
    Jorro que nem chafariz
    Quando eu estou feliz
    Ecologista no amor
    Passo da copa a raiz
    Comendo todo tempo de pauzim
    Palmeando o meu quimono
    Ela sorri: Buragiro é aqui!

  • Salve o Criador

    Autores: João Bosco

    Fui tarde e manhã sobre a terra
    No começar dia um
    Foi treva foi luz fogo e água
    E o sopro de Deus era um
    Que seja dividida a água
    Dia segundo se fez
    Céu água e céu, céu e água
    E tudo foi mar uma só vez
    Que brote do seco da terra
    O verde da relva, e o jardim
    De rosas, sementes e ervas
    Dia terceiro era assim
    Inverno verão noite e dia
    Luzeiro divino conduz
    Que seja nesse quarto dia
    A hora da estrela brilhar em cruz
    E Deus achou bom
    Salve o Senhor
    Salve a natureza
    Salve o criador do amor
    Salve o Senhor
    Pavão peixe boi bicho ave
    Cêra do favo de mel
    Quanta coisa linda na água
    Ave Maria no céu
    Depois desse dia o outro
    A sua semelhança ele fez
    Almas de vidas casadas
    Homem mulher João José Inês
    Dominar o que lá na terra
    E tudo o que dela nascer
    Sensibilidade e beleza
    Foi dado ao homem o saber
    Que seja na terra, da terra
    A chance desse homem ser
    O pó que renova essa terra
    O fruto que dela há de florescer

Share on:
Trem Bala Agnus Sei Por Um Sorriso Dois pra lá Dois pra cá Incompatibilidade de Genios Genesis (Parto) Falso Brilhante Linha de Passe Tal mãe, Tal filha Angra Profissionalismo é isso ai Escadas da Penha Bate um Balaio ou Rockson do Pandeiro Cabaré Coisa Feita Malabaristas do Sinal Vermelho Siri Recheado e o Cacete Tristeza de uma embolada Amar, Amar Quilombo Si Si No No Ditodos O Mestre-sala dos Mares As Minas do Mar Granito Desnortes Holofotes Indeciso Coração Querido Diário Forró em Limoeiro Se Você Jurar Calango Rosa Papel Machê Pixinguinha 10x0 Beirando a Rumba Kid Cavaquinho Perversa Mama Palavra Cinema Cidade Incompatibilidade de Gênios Bala com Bala - Edu Lobo Pronto pra próxima